sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Dois poemas

Letreiro

Porque não sei mentir
Não vos engano:
Nasci subversivo.
A começar por mim - meu principal motivo
De insatisfação -,
Diante de qualquer adoração,
Ajuízo.
Não sei conformar.
E saio, antes de entrar,
De cada paraíso.

Mais um amigo na nossa biblioteca!
O livro "Antologia Poética" de Miguel Torga, uma edição da D. Quixote.

Querem outra preciosidade? Cá vai!


Vasco da Gama

Somos nós que fazemos o destino.
Chegar à India ou não
É um íntimo desígnio da vontade.
Os fados a favor
E a desfavor,
São argumentos da posteridade.

O próprio génio pode estar ausente
Da façanha.
Basta que nos momentos de terror,
Persistente,
O ânimo enfrente
A fúria de qualquer Adamastor.

O renome é o salário do triunfo.
O que é preciso, pois, é triunfar.
Nunca meia viagem consentida!
Nunca meia medida
Do vinho que nos há-de embriagar!

Sem comentários:

Igualdade de Género 5B - 2018