terça-feira, 23 de março de 2010

Livro revela novos dados sobre o humanismo de Aristides de Sousa Mendes


As revelações constam da reedição do livro "Um Homem Bom" - Aristides de Sousa Mendes, do escritor português residente no Canadá Rui Afonso.
A obra, agora dada à estampa pela Texto Editora, foi editada inicialmente pela Caminho em 1995 como uma biografia de Aristides de Sousa Mendes, mas agora traz novas revelações devido a novos documentos consultados pelo autor, segundo disse o autor.

Nadine Thierry, mulher do barão de Rotschild, a mulher do poeta Marsman, o cineasta Henry Diamond de Belgé e um chefe de orquestra polaco amigo de Malcuzynski foram outras das pessoas a quem o cônsul português em Bordéus terá concedido vistos, acrescentou à Lusa Rui Afonso.

Segundo o autor, a obra agora publicada conta com mais de 50 páginas novas em relação à edição de 1995, muitas das quais devido ao livro "Judeus em Portugal durante a II Guerra Mundial", editado em 2006.
Para Rui Afonso, o problema dos judeus na II Guerra Mundial "mantém-se actual.
"O problema que afectou os judeus continua a afectar ainda hoje muitas minorias", disse, sublinhando tratar-se de uma questão em que todos deviam reflectir no sentido de conseguirem "pôr-lhe um termo".
Na obra, Rui Afonso refere que Aristides de Sousa Mendes não estava nas boas graças do Ministério dos Negócios Estrangeiros, porque, tal como o irmão que fora ministro com aquela pasta durante Estado Novo, era um monárquico confesso.

Sem comentários:

André Fernandes visita o AEOS